Dicas de como estudar Física para Concursos e ENEM!



 https://3.bp.blogspot.com/-DsEFEn02OVA/Ve2CQ15JXuI/AAAAAAAAAC8/roafIB7n9Nw/w800-h800/fis-logo0925.png

Se seu objetivo é estudar para concurso ou para o próximo ENEM, a principal dica é que o candidato estude bastante os tópicos relacionados a mecânica, energia e eletricidade. "Em termos de conteúdo específico, temas ligados a transformações de energia, energia térmica, mecânica newtoniana e eletricidade, principalmente envolvendo circuitos elétricos de residências, são os mais pedidos na prova", afirma o professor e supervisor de física do curso Anglo, Ronaldo Carrilho.

Mônica Nunes, professora de Física da Oficina do Estudante chama a atenção para a relação da matéria com o cotidiano dos estudantes. "Estar antenado a notícias e situações cotidianas é essencial, pois o Enem preza por conteúdos que tenham relação com o dia a dia do estudante", afirma. Outra dica de Mônica é ter muita atenção ao ler o enunciado, gráficos, tabelas e figuras. Segundo ela, isso é fundamental para o bom desempenho do aluno, pois muitas vezes esses itens trazem informações que são úteis na resolução da questão.

Fenômenos ondulatórios e um pouco de óptica também costumam aparecer. São perguntas que envolvem, por exemplo, contas de energia elétrica relacionando a energia consumida com a potência de aparelhos, utilização e propagação de ondas eletromagnéticas e hidrostática, energia térmica. "São muitas as maneiras de se cobrar esses conteúdos, mas é difícil o Enem fugir de certo modelo, por isso, é interessante resolver questões de provas anteriores", aconselha Mônica.

Em termos de conteúdo específico, temas ligados a transformações de energia, energia térmica, mecânica newtoniana e eletricidade, principalmente envolvendo circuitos elétricos de residências, são os mais pedidos na prova.

5 passos para aprender e estudar física sem estresse
http://blog.portalexamedeordem.com.br/blog/wp-content/uploads/2015/05/18.jpg


1 - Entenda o movimento

Leia os dados do problema apresentado nos exercícios ou nas provas com muito cuidado, para que consiga entender cada coisa que se passa na situação. A física tem muito a ver com o movimento. Primeiramente, você deve visualizar e identificar o movimento.


2 - Não aplique a fórmula cegamente


Aprender as fórmulas e decorá-las não significa que todos os exercícios estão resolvidos. Quando for usar uma fórmula você deve ter três coisas em mente: quando ela pode ser aplicada, quando não pode usá-la e como essa fórmula foi obtida.


3 - Leis de Newton

Tudo o que é estudado em física clássica deve seguir as leis de Newton. Se você estiver com dúvidas em uma questão, procure aplicar as leis para saber quais forças estão envolvidas, onde e com quais efeitos.


4 - Simplifique a situação

Procure simplificar ao máximo a questão oferecida. Se a pergunta possuir gráficos e tabelas, escreva os dados que estão sendo informados e quais fórmulas poderiam ser aplicadas.


5 - Evite o decoreba

Ao invés de tentar decorar todas as fórmulas, procure entender como elas foram desenvolvidas. Assim será muito mais fácil deduzir qual é a fórmula ideal para o problema apresentado e não dependerá de sua memória para acertar a questão.
Quando você estuda Português ou História, uma lição passada pelo professor abrange, na maioria das vezes, um grande número de páginas de texto. A Física, tal como a Matemática, é mais condensada. Uma lição de Física pode reduzir-se apenas a uma ou duas páginas. Você poderia decorar a lição, mas isto não lhe adiantaria nada. Algumas vezes, o seu trabalho é compreender uma lei. Depois de compreender essa lei - e a lei é muitas vezes expressa por uma equação - e a puder explicar e aplicar na resolução de problemas, você terá aprendido a lição.

Mas quais assuntos estudar para concursos ou ENEM?

 1. Mecânica e movimento dos corpos

Ao todo, os questionamentos que tratam dos estudos da mecânica somaram 22 questões nas últimas três provas. Dessa forma, essa é a matéria que mais incidiu nas últimas edições da prova de física do Enem, segundo Zanella.

Dentro desse guarda-chuva temático, no ano passado, por exemplo, houve questões sobre velocidade e movimento dos corpos. "Os testes de cinemática e estudo do movimento dos corpos são os favoritos pela banca de professores do Inep (Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas, órgão responsável pela realização do Enem)", afirma o professor.
 
2. Ondulatória

Dedicada ao estudo das ondas (sejam as de luz, da água ou de qualquer outro meio em que se propaga um pulso), a ondulatória foi o segundo assunto mais corriqueiro nas últimas provas de física do Enem, somando dez questões entre os testes de 2013 e 2014, conforme tabulação do professor Zanella, do Poliedro.

Por sua vez, o professor Eduardo Figueiredo, coordenador de física do Objetivo, recomenda noções da equação fundamental da ondulatória, baseada na velocidade, na frequência e no comprimento de cada onda.
 
3. Eletricidade

Em terceiro lugar nas últimas provas de física do exame estão as perguntas a respeito da eletricidade. "As questões de elétrica são em sua grande maioria voltadas para a análise de circuitos, com perguntas sobre corrente, resistores e potência", diz Zanella, do Poliedro.

Na prova do ano passado, os alunos tiveram que resolver uma questão a respeito de um circuito de iluminação composto por três lâmpadas. Também se depararam com uma questão a respeito do funcionamento de geradores. O professor Figueiredo, do Objetivo, destaca que a ênfase do questionário tem se dado, principalmente, na potência elétrica.
 
4. Termologia/Termodinâmica

Esfriamento, aquecimento... A termologia se dedica à compreensão das manifestações ligadas ao calor e foi um tema explorado com relativa abrangência nas edições passadas do Enem. Ela somou oito questões nos últimos anos, conforme a compilação feita por Zanella.

Houve perguntas sobre calorimetria em provas de anos anteriores.
 
5. Óptica

Por fim, a óptica – ramo voltado à análise das radiações luminosas e de seus fenômenos – também costumou aparecer no Enem dos anos anteriores.

Os professores Zanella, do Poliedro, e Figueiredo, do Objetivo, observam que refração foi um tema que apareceu nos últimos anos nas questões do Enem. Recomenda-se o estudo das lentes.

Bons estudos! 

Destaque do site:

A equipe EuAstrônomo disponibiliza algumas das conversões de unidades mais utilizadas para Astronomia e Astrofotografia.

Como utilizar?
Basta colocar o que deseja utilizar de um lado, apertar Enter, que nosso site irá calcular o valor que você deseja encontrar! Veja:

ASTRONOMIA

Distâncias Astronômicas
 1 parsec (pc) = 206265 Unidades Astronômicas (UA) = 3,26 anos-luz:
parsec:« ano-luz
parsec: « U.A.
ano-luz: « U.A.
ano-luz: « trilhões de km



Ótica dos Instrumentos

Aproximação x Distâncias focais:
A = F1 / F2
Distância focal da objetiva (F1): mm
Distância focal da ocular (F2): mm
Aproximação (A): vezes
Aproximação x Pupila da ocular:
A = Ø / P2
Aproximação (A): vezes
Diâmetro da objetiva (Ø): mm
Pupila da ocular (P2): mm

Magnitude limite (aproximada):
Mi = 7.1 + 5 x Log(Ø / 10)
Diâmetro da objetiva (Ø): mm
Magnitude limite (Mi):

Magnitude limite (exata):
Mi = 8.3 + 5 x Log(Ø / 10) - 2.5 x Log(P2)
Diâmetro da objetiva (Ø): mm
Pupila de saída (P2) (veja pupila da ocular acima): mm
Magnitude limite (Mi):

Resolução (aproximada):
R = 120 / Ø
Diâmetro da objetiva (Ø): mm
Resolução aproximada (R): " de arco



 
Fotografia



Tempo máx. de exposição para fotos do céu c/ câmera fixa:
Tm = 550 / (F1 * cos (d))
Distância focal da objetiva (F1): mm
Declinação do centro do campo (d): °
Tempo máximo de exposição (Tm): s

Conversor "Tempo de Exposição 1" X "Abertura 1"
para "Tempo de Exposição 2" X "Abertura 2":

T1 / (A1)2 = T2 / (A2) 2
Exposição 1 (T1): s Abertura 1 (A1): f/
Exposição 2 (T2): s Abertura 2 (A2): f/



Régua de Cálculo para Astrofotografia com Câmera Fixa


Esta régua efetua os cálculos vistos na fórmula que calcula o tempo de exposição para astrofotografia com câmera fixa. Este é o tempo máximo que podemos expor um filme fotográfico antes que as estrelas comecem a apresentar um traço devido à rotação da Terra. Usando o mouse sobre a bara de rolagem inferior, faça a parte central da régua deslizar até que a distância focal da olente da sua máquina fotográfica coincida com a declinação da região a ser fotografada. Leia, então, o tempo máximo de exposição indicado pela seta azul. Lembre-se que este é o tempo máximo permitido para que não apareçam os traços das estrelas provcados pela rotação da Terra. Você pode usar tempos menores conforme o efeito desejado.



Você pode imprimir as duas escalas e confeccionar uma régua usando papel cartão grosso.

   




1 - Régua caprichada: cole as figuras das escalas da régua em um cartão grosso (1 a 2 mm) cuidando para que as partes superior e inferior (área azul da figura abaixo) estejam alinhadas conforme o desenho original. Corte tiras do cartão com larguras adequadas e faça um sanduíche triplo de cartão conforme a figura colando nas linha cinza claro da figura abaixo
Cuide para não colar as partes amarelas com as azuis pois a escala central deve deslizar no trilho formado pelo sanduíche de papel cartonado.

2 - Régua fácil: Cole as escalas superior e inferior numa cartolina e recorte uma janela central (área verde da figura abaixo). Dobre a cartolina para trás nas duas linhas vermelhas e cole ou prenda com fita adesiva uma metade na outra.
Cole a escala central num pedaço de cartolina que entre justo no "envelope" formado pela dobradura anterior, cuidando que esta escala fique centrada na janela aberta.





Quer ter um mapa do céu online da sua cidade agora? Aprenda como fazer!


Que tal ter um mapa celeste da sua cidade online agora mesmo? Faça isso sem precisar instalar nada em seu computador/notebook e sem precisar ter conhecimentos avançados sobre astronomia! (Não disponível para aparelhos celulares, disponível apenas para computadores ou notebooks)

Este artigo é uma aula onde você irá aprender como utilizar nossa ferramenta do Planetário para criar um mapa celeste da sua cidade!



O que você terá que fazer?
Primeiro passo: Descubra a latitude e longitude da sua cidade. Você poderá fazer isso clicando aqui.
Digite o nome da sua cidade (Nome da cidade e a sigla do Estado) no campo indicado. Tomarei como referência a cidade de São Paulo, veja:

Veja que eu digitei "São Paulo SP", e logo apareceu "São Paulo, Sp" e logo embaixo surgiu a opção "São Paulo SP, Brasilien", você terá que clicar na opção correta, neste caso, a primeira opção que apareceu. O site te dará as coordenadas da cidade. Veja:


Você terá os dados de Latitude e Longitude, anote esses dados!
Então temos:
Latitude: -23° 55'
Longitude: -46° 63'

Preste bem atenção no seguinte:
Teremos que dizer as posições nos pontos cardeais destas coordenadas, de modo simples, se a latitude for negativa, será Sul e se a longitude for negativa, será Oeste, que é o nosso caso, pois o 23 e 46 estão negativos, logo teremos:

Latitude: 23° 55' ao Sul
Longitude: 46° 63' ao Oeste

EXCEÇÃO:
Tomei como exemplo a cidade de São Paulo pois a Longitude marca 63' (ou 63 minutos), o que não pode acontecer, 63 minutos corresponde a uma hora e três minutos, logo, essa "uma hora" será adicionado aos graus, teremos então:
Longitude: 47° 03' ao Oeste

Resumindo, temos que:
 Latitude: 23° 55' ao Sul
Longitude: 47° 03' ao Oeste
 (Caso sua cidade não passe de 60 minutos, deixe os valores como estão).

De posse desses conhecimentos, iremos abrir nosso planetário virtual para criar nosso mapa celeste clicando aqui. 

Esperaremos o carregamento da página e daremos um clique na tela do planetário para abrir  nosso sistema planetário.

Em seguida iremos clicar neste botão:


Que irá abrir esta página:


Onde, iremos clicar em "data":


Aqui é onde iremos colocar os dados que obtivemos anteriormente, para isto, iremos ir clicando nas setinhas para ir modificando os valores existentes, iremos escolher Norte ou Sul, conforme já verificamos, nossa localização é ao Sul.


Em seguida, iremos adicionar nossas coordenadas clicando nas setas:


Faremos isso com as outras setas, alterando para leste ou Oeste e alterando os valores das coordenadas. Conforme já vimos, nossa localização é ao Oeste.


Por fim, teremos este resultado para cidade que escolhemos:
(Vale lembrar que você colocará os dados da sua cidade, estas imagens são apenas exemplos).


Está configurado a nossa carta celeste! Para ver o que aparecerá no céu, basta clicar na imagem do telescópio:


Pronto! A carta celeste da nossa cidade está pronta! A linha representada, diz onde está o Horizonte, abaixo dela estão os objetos celestes que não estão mais visíveis no céu noturno, e acima da linha, estão os objetos visíveis! Navegue pelo céu clicando na tela e arrastando com o mouse, veja todas as constelações e planetas presentes no céu da sua cidade.


Você também poderá alterar a data e a hora dos objetos, podendo prever futuras observações do céu, para isso, basta clicar na data que aparecerá e alterar para a data e hora que desejar.


Clique nas setas para alterar para a data e hora que desejar:


Depois que concluir, clique na tela novamente e navegue pelo céu a vontade!
Boas observações!

Atenciosamente: Equipe EuAstrônomo.
-> Novidade: Calendário Astronômico 2016 aqui!
Com chuvas de meteoros e ec
lipses!

-> Novidade: Camisas EuAstrônomo disponíveis aqui!

Entre em contato conosco através do email:
contato@euastronomo.com
Nos ajude a manter este site! Faça uma doação com qualquer valor clicando no botão "doar".

"Para onde irá minha doação?"
Irá de início para o desenvolvedor do site (Sávio Negrão), onde posteriormente será dividido para a manutenção deste site (pagamento de domínio, serviços de divulgação contratados, redatores e desenvolvedores que fazem nosso site funcionar).

Gostou do site? Está disposto a nos ajudar?
Então nos ajude com qualquer valor simbólico. O site foi feito para vocês!